touching lamp

Touching Lamp é um projeto do designer Sahy Carmon e para funcionar requer uma mãozinha do usuário. Todos as peças da luminária ficam expostas, os fios elétricos foram substituídos por tiras de alumínio, que atuam como condutores e ficam embutidas nas travessas de madeira. A lâmpada é de 12V, assim não há perigo de choques. Ao mover os elementos de madeira e fazer o contato das partes metalicas, a luminária adquire inúmeras configurações, tantas quanto a sua imaginação permitir.

vi no stilsucht

da boate para a sala

dapple

A designer Renko Kaneko apresentou na última feira de Milão a luminária de coluna Dapple. A aparência sóbria se dá pela revestimento externo em folha de madeira, mas ao acender o interruptor uma explosão de luzes e sombras acontecem, já que seu interior é completamente revestido por pequenos espelhos. Isso sim que é referência de boate!

eu via na sala da la

octopus

singleoctopus

dobleoctopus1

doubleoctopus2

desenhada pela autoban como alternativa aos lustres de cristal tradicionais, as luminárias single e double octopus chandelier tem hastes de alumínio coloridas que se articulam, lembrando um polvo. além de iluminar, a luminária agrega também função escultórica e lúdica, já que cabe ao usuário direcionar os focos de luz pelo ambiente.

castor canadensis

castor1.jpg

Na minha máquina ainda haviam alguns sites selecionados para postar no Neorama. Entre eles, o Castor Canadensis, escritório de design sediado em Ontário e composto por Brian Richer, Ryan Taylor and Kei Ng. Das peças que eu vi no site, (que por sinal é bem bonito, mas um pouco chato de navegar) a que eu mais gostei foi o Recycled Tube Light. Trata-se de uma luminária executada com lâmpadas fluorescentes (queimadas) vindas dos escritórios da região; a iluminação é obtida com lâmpadas incandescentes dispostas no interior do conjunto formado pelas outras, dependendo de sua configuração podem ficar penduradas ou em pé. Já saiu no Tree Hugger e Inhabitat.

compactas com design

plumen2.jpg

plumen.jpg

Confesso que eu não uso lâmpadas econômicas porque eu não gosto da temperatura de cor que elas emitem, mas as empresas que as fabricam estão trabalhando para que a qualidade dessas lâmpadas seja melhorada a cada dia, tanto é que já existem lâmpadas compactas com temperatura de cor mais quentes. O Plumen Project, da londrina Hulger, explora as possibilidades estéticas desse tipo de lâmpada e, embora eu não saiba a temperatura de cor dessas lâmpadas, acho uma pena que sejam apenas protótipos.

Dica do José Henrique, que viu a matéria publicada no Core 77.

ioiô

play1.jpg 

A luminária de piso (P)lay, proposta do Studio DSGN, para a Alt Lucialternative, brinca com o jogo de luz e forma e, graças ao cabo de 8m. de extensão torna-se muito versátil. Formada por dois difusores acrílicos leitosos unidos por uma peça de policarbonato (que também serve para deixar o fio enrolado), a luminária parece mais um ioiô. Será que além de iluminar, também dá para jogar?

Eu vi no DecoEstilo

play2.jpg

memória

prj-memoria01.jpgprj-memoria02.jpg

Quanto dura a vida de uma lâmpada? A luminária Memoria, desenho de Joe Velluto para a Ono Luce, tem um contador digital que contabiliza cada minuto de luz emitida. Quando a lâmpada acabar, o contador se auto bloqueará e número de horas que a lâmpada funcionou ficará impresso na luminária. Até começar tudo novamente.

wonderwall

fix_1.jpg

fix_2.jpg

Masamichi Katayama, designer da Wonderwall, tem peças incríveis em seu portfólio, todas muito simples, elegantes e atuais. A luminária Fix, produzida pela Daiko, pode ser usada como luminária pendente, de mesa, piso ou arandela e ainda permite a customização, já que entre as duas placas de acrílico o usuário pode colocar fotos ou placas coloridas. A Scale é uma estante de parede própria para colocar livros, as hastes removíveis encaixadas aos sulcos nas extremidades são ideais para segurar os livros, mesmo que seja somente um.

Via Land+Living

scale_1.jpg

theanemix

theanemix.jpg 

TheANEMIX é um sistema de iluminação que cria efeitos 3d. Ximena Muñoz começou a estudá-lo durante um curso em Milão e na volta ao Chile, fundou com Paulina Villalobos a Diav e a Luxia (com Juan Carlos Muñoz), empresas voltadas ao segmento de iluminação e consumo energético. TheANEMIX foi inspirado na bioluminescência, um fenômeno natural que ocorre no fundo do mar, onde alguns peixes geram luz para sobreviver na escuridão. O sistema modular é composto basicamente por leds e um painel especial de vidro e alumínio e pode criar diversos efeitos luminosos, como nuvens, bolhas, ondas, além de poder ser customizado. Eu achei o efeito incrível, e fico imaginando qual a sensação de estar/ver um ambiente com paredes em movimento. Tem uma galeria de fotos aqui.

Eu vi no Dexinger

theanemix1.jpg

http://theanemix.com/modulos.php?mod=portafolios&fn=141a1c76ded970414bd981ada71e4d26&id=22&al=right

bloom!

 

Estamos vivendo uma época onde atitides e objetos ecologicamente corretos são muito bem vindos, certo? Por isso, eu achei a idéia de designer Rebecca Potger muito boa! Essa luminária, de desenho tradicionalissímo utiliza tecnologia de ponta. A Bloom! Daylight at night foi inspirada na fotossíntese das plantas e converte luz solar em energia utilizando o TSA Step-up Converter, um tipo de célula solar que produz até 300% mais energia que a célula solar tradicional. A luminária recebe a luz solar durante o dia e a noite, ao virá-la de cabeça para baixo converte-se em uma lâmpada, devolvendo a luz armazenada. Impermeável, sem cabos, interruptores, lâmpadas ou energia elétrica. Mais ecologicamente correto, impossível.

homenagem aos mestres

O designer Mark Mckenna, resolveu homenagear grandes designers de luminárias com a linha DEK (Designer Emulation Kits). São cinco mini-luminárias, que vem em uma cartela para destacar e montar e funcionam com um led e uma bateria de 9 volts. O critério de Mark para eleger as luminárias que fariam parte da coleção foi simples: designers cujas luminárias tornaram-se ícones, objetos de desejo. Entre os homenagedos estão Achille Castiglione, Ingo Maurer, Philippe Starck e Richard Sapper. Eu adorei esses brinquedinhos!